Será que é de Éter?

DANÇA CONTEMPORÂNEA
Ao mesmo tempo em que se prendem aos elásticos, os bailarinos libertam-se livres no espaço, jogam com as possibilidades e limitações do corpo humano. Metáfora do encontro e da vida. Sensação de ilusão e ambiguidade. Entre diferenças e tramas, a costura da condição humana, na qual todos são capazes de alcançar aquilo que sonham.

  1.  FLORIANÓPOLIS
    FLORIANÓPOLIS
    27 de maio de 2017 JARDIM BOTÂNICO 17:30 Gratuito
  2.        CURITIBA
    CURITIBA
    17 de junho de 2017 - 17h CASA HOFFMANN 18 de junho - 11h30 RUÍNAS DE SÃO FRANCISCO Gratuito
  3.       SÃO PAULO
    SÃO PAULO
    11 de junho de 2017 GALERIA OLIDO - CENTRO 16h e 19h Gratuito
  4.   RIO DE JANEIRO
    RIO DE JANEIRO
    9 de junho de 2017 PRAÇA MAUÁ - MUSEU DO AMANHÃ 11h30 e 17h30 Gratuito
  5.    PORTO ALEGRE
    PORTO ALEGRE
    Dia 25 de julho, na Travessa dos Cataventos, às 13h. Dia 26, no Teatro Carlos Carvalho, às 20h30 Gratuito
Formada por dez bailarinos de Florianópolis (SC), a Companhia de Dança Lápis de Seda
convida para viver uma experiência que propõe mudar o olhar sobre o tema da deficiência.
Sob a coordenação da coreógrafa Analu Ciscato, o grupo coloca a dança a serviço do fim
de conceitos limitadores. Lápis de Seda não quer rotulações, quer ser somente uma
companhia de dança.

O projeto

O projeto Companhia de Dança Lápis de Seda está enquadrado na categoria artes cênicas e aprovado pelo Ministério da Cultura via Lei Rouanet/ PRONAC 162593. O patrocinador é a Cateno.

O objetivo é de criação e circulação de dois trabalhos de um grupo de dança contemporânea com foco inclusivo.Formado por dez jovens e adultos na faixa etária de 17 a 50 anos, o grupo é composto por 60% considerados com deficiência intelectual e/ou motora e 40% sem deficiência.

Convite ao Olhar(2015) é retomado para ser apresentado em cinco capitais brasileiras enquanto a nova coreografia Será que É de Éter?,após sua concepção, entra na agenda cultural de duas cidades de Santa Catarina.

Convite ao olhar prevê apresentações em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ). Será que é de Éter?, o novo trabalho da companhia, contempla apresentações em Florianópolis e Blumenau (SC). O projeto contribui no contexto da dança inclusiva brasileira e gera impactos positivos na sociedade pois busca diminuir preconceitos contra pessoas consideradas deficientes.
Objetivo geral da companhia

Oferecer um novo olhar sobre o tema da deficiência na dança.

Objetivos específicos

Promover o desenvolvimento de habilidades motoras e capacidades cognitivas, sociais e emocionais de um grupo de pessoas com e sem deficiência intelectual e/ou motora, através da dança, com a apresentação de dois espetáculos, cujas montagens contam com a participação dos bailarinos e equipe técnica especializada;

Oferecer uma atividade artística na área da dança, em caráter profissional, a dez bailarinos e desconstruir preconceitos, mostrar à plateia a riqueza de uma obra de arte construída a partir da diversidade;

Desenvolver através da arte novas compreensões e capacidades nos bailarinos que terão encontros que articulam a atividade da dança com outras áreas artísticas;

Promover no decorrer dos encontros a participação ativa dos bailarinos na criação dos espetáculos como um todo, isto é, na criação e execução do cenário e do figurino;

Proporcionar ao público dos espetáculos uma experiência sensorial e não verbal por meio da linguagem corporal. A ideia é questionar conceitos antigos e propor sair dos moldes tradicionais.