Convite ao Olhar

DANÇA CONTEMPORÂNEA
  Da vida de todos nós

Lápis de Seda integra o Winter Fest
com o espetáculo Convite ao Olhar

Fotos Divulgação Cristiano Prim

A Companhia de Dança Lápis de Seda, de Florianópolis (SC), é uma das atrações do Winter Fest Jurerê Internacional, que movimentará o Jurerê Open Shopping, na Plataforma Zero, ao lado do IL Campanario Villaggio Resort, na Capital, nos dias 14, 15, 21, 22, 28 e 29 de julho. Em seis dias de evento, sempre aos sábados e domingos, a iniciativa oferece shows musicais, o espetáculo de dança Convite ao Olhar da Lápis de Seda, DJs, recreação infantil e muita gastronomia em food trucks e barraquinhas. Com entrada gratuita, a programação começa sempre às 14h e encerra às 22h no sábado e 21h no domingo. Neste sábado, além da Lápis de Seda, o público poderá apreciar, entre 19h e 22h, o show musical Susana Steil (pop nacional e internacional, MPB, rock, soul e samba) e no domingo entre 18h e 21h, o show musical Luciano e Evandro (rock, pop e folk internacional).
  
  
  
A apresentação de Convite ao Olhar será no dia 21 de julho, às 18h, no Jurerê Open Shopping. Projeto cultural de dança contemporânea viabilizado no Estado pelo Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2015, com o qual foi possível criar e circular em três cidades catarinenses. Com outros incentivos, em 2017 a companhia mostrou o trabalho em quatro capitais do Brasil, além de ter participado em Florianópolis do 10º Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea, apontado neste gênero como o mais importante no Sul do Estado. Dentro do Winter Fest Jurerê Internacional, o grupo conta com o patrocínio de Involves, do Jurerê Open Shopping e do IL Campanario Villaggio Resort. A realização é da Arte Movimenta.
  
  
A expectativa, segundo Andrea Gusmão, diretora de conteúdo e Novos Negócios de Jurerê Internacional, é receber um grande público no Winter Fest, como já ocorreu na edição do ano passado. “O festival vem crescendo ano a ano, e ficamos muito felizes em poder oferecer uma festa com toda esta estrutura para os moradores de Florianópolis e turistas. É uma forma de mostrar que Jurerê Internacional não é atrativa apenas no verão e que temos entretenimento de qualidade o ano todo, dentro dos nossos pilares: família, cultura e gastronomia”, explica.

  
Sem rotulações
Criada em 2014, Lápis de Seda adota como pedagogia uma formação mista de jovens e adultos. Na faixa etária de 20 a 50 anos, o grupo de dez bailarinos é composto por 60% considerados com deficiência intelectual e/ou motora e 40% sem deficiência. Na diferença, a descoberta da riqueza. “A intenção é evitar rotulações e conceitos limitadores, como a de uma companhia de dança de bailarinos com deficiência. Lápis de Seda quer ser somente uma companhia de dança”, diz Ana Luiza Ciscato, 


Equipe técnica
Espetáculo Convite ao Olhar
Direção geral e coreografia: Ana Luiza Ciscato
Direção musical, compositor e arranjador: Luiz Gustavo Zago
Assistente de direção artístico-musical e intérprete: Cláudia Passos
Coordenação geral: Arte Movimenta
Produção executiva:  Neiva Ortega
Bailarinos: Ana Flavia Piovezana, Aroldo Gaspar, Deivid Velho, Fabiana Marques, Gabriel Figueira, João Paulo Marques, Maura Marques, Paulo Soares, Ramon Noro, Roberta Oliveira e Silvia Gevaerd (bailarina estagiária)
Técnico de som e luz: Juarez Mendonça Jr.
Figurino: Emmanuel Bohrer Júnior
Fotografia e vídeo: Cristiano Prim
Cenografia e projeto gráfico: Ramon Noro
Produção de vídeo: Pedro Palaia
Assessoria de imprensa: Néri Pedroso

Serviço Florianópolis
Espetáculo Convite ao Olhar
O quê: Convite ao Olhar – Cia. de Dança Lápis de Seda
Quando: 21.7.2018, 18h
Onde: Jurerê Open Shopping, Plataforma Zero, ao lado do IL Campanario Villaggio Resort, Florianópolis
Quanto: Gratuito

Saiba mais:
http://www.lapisdeseda.com/ 
www.facebook.com/Cia-Lápis-de-Seda-413477448794460/
  
  
Formada por dez bailarinos de Florianópolis (SC), a Companhia de Dança Lápis de Seda
convida para viver uma experiência que propõe mudar o olhar sobre o tema da deficiência.
Sob a coordenação da coreógrafa Analu Ciscato, o grupo coloca a dança a serviço do fim
de conceitos limitadores. Lápis de Seda não quer rotulações, quer ser somente uma
companhia de dança.

Criação coletiva, poética inclusiva

Corpo, diferença, política de inclusão, independência artística e construção identitária são palavras-chave para a Companhia de Dança Lápis de Seda. Idealizada pelo Baobah Novas Formas de Inteligência em 2014, em Florianópolis (SC), aposta na valorização das diferenças individuais.
Sob a coordenação da diretora artística Ana Luiza Ciscato, Lápis de Seda reúne dez bailarinos com diferentes capacidades e formações. Jovens e adultos, 60% são considerados com deficiência intelectual e/ou motora e 40% sem deficiência. A faixa etária se situa entre 20 e 50 anos.
Incentivado por editais públicos de cultura, o grupo se apresenta com as coreografias Convite ao Olhar, já visto em Londres e em sete cidades do Estado (Florianópolis, Treze Tílias, Joaçaba, Campos Novos, Anita Garibaldi, Joinville e Itajaí) e cinco capitais brasileiras (Florianópolis, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre). A montagem Será que É de Éter? entrou na agenda cultural de Florianópolis e Blumenau.
  
  
A companhia faz apresentações em teatros, espaços fechados e ao ar livre. Busca ampliar as ressonâncias das ações pois também quer discutir a cidade, incorporar a tensão entre arte e vida, com representações que enfocam as relações existentes entre os espaços e os fluxos existenciais.


  
 Desde a sua criação, Lápis de Seda orgulha-se de ter estabelecido relações institucionais, de caráter privado e público, com espaços do circuito cultural do Brasil: Prefeitura de Florianópolis/Companhia Melhoramentos da Capital/Parque Jardim Botânico/Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes; Associação dos Moradores do Alto do Córrego Grande (Amosc); Associação dos Pais e Amigos de Excepcionais (Apae); Prefeitura Rio/Museu do Amanhã, Museu do Mar; Prefeitura de São Paulo/ Centro Cultural Olido; Prefeitura de Curitiba/Fundação Cultural de Curitiba/Casa Hoffman e gerência de Núcleos Regionais; Prefeitura de Porto Alegre/Casa de Cultura Mario Quintana; Governo do Estado de Santa Catarina/Secretaria de Turismo Cultura e Esporte/Fundação Catarinense de Cultura; Prefeitura Municipal de Blumenau/Fundação Cultural de Blumenau; Enercan; Tirol;
Cateno; Teltec; Jurerê Internacional; Fecoagro; Mercado Limeira e Projeta Planejamento e Marketing.
 
 
 Objetivos específicos:

Promover o desenvolvimento de habilidades motoras e capacidades cognitivas, sociais e emocionais de um grupo de pessoas com e sem deficiência intelectual e/ou motora, através da dança, com a apresentação de trabalhos, cujas montagens contam com a participação dos bailarinos e equipe técnica especializada;